Monday, December 16, 2013

it's christmas time

Os dias para o Natal estão em contagem decrescente e ainda mais decrescente está a contagem dos dias que faltam para eu entrar de férias. A óptima notícia é que só falta um dia e ACABOU-SE. Depois vou fazer uma paragem em Bruxelas, volto aqui para acabar a mala e levar a gata ao hotel. E depois... it's off back home! 

Como não tenho tido grande imaginação para presentes de Natal, decidi este ano dedicar-me ao crochet e fiz uma data de prendas para as minhas amigas daqui. Não vou levar nada destas coisas para Portugal porque a minha família é toda muito prendada e quase toda a gente sabe fazer estas coisas. 

Por isso, como não vão poder ver nada, deixo aqui as fotos das prendas natalícias já distribuídas. 







 







Até já, gente! Sábado já estarei por aí! FELIZ NATAL!

Friday, December 6, 2013

the little differences

Não vou começar a dissertar sobre Royale with cheese, mas é dentro desse espírito, sim, devo confessar. Pequenos detalhes, aqui e ali, que vou observando e que, obviamente, julgamos sempre perante o nosso referencial, aka, a nossa cultura, esse grande saco que temos às nossas costas, onde pomos tudo que experimentamos e vivemos. O meu saco encheu-se de coisas portuguesas durante 32 anos, pelo que só passados 32 anos "cá fora" é que já nada vai parecer estranho. Até lá... aqui vão umas quantas que me lembrei:

- Chegar a casa de alguém (e vice versa) e tirar os sapatos. Vai-se a uma festa, toda bonita, sapatinho a fazer pendant... não adianta, que quando se chega a casa de alguém, eles saem. Patrões, crianças, colegas, estranhos, melhores amigos do mundo... sapato nenhum entra num lar finlandês. Na Holanda também é assim, mas acho que é mais flexível e depende da pessoa. Aqui é tudo eito! Talvez pelo facto de os sapatos serem a maior parte do tempo botifarras e terem de lidar com outros "animais". Eu gosto, porque sempre achei que andar de sapatos em casa é muito insalubre. Eu hoje vou a casa de um vizinho, acho que nem sequer me vou calçar... vou de chinelos! Olhó estilo!

- Pendurar o casaco à entrada de todo o sítio: Obrigatório. Isto é, quer queiras quer não queiras, vais gastar 2€ (ou mais) sempre! Parece que é uma medida de segurança o facto de os casacos estarem todos juntos num sítio. Não compreendo muito bem porquê, o único cenário que consigo imaginar é haver um fogo e os casacos que estavam nas cadeiras das pessoas entrelaçarem-se nas pernas e impedir a fuga e serem daqueles materiais muito inflamáveis, cheios de enchimento, que faz uma chama linda e contribui para o fogo. Será que isto é suficiente para fazer uma lei? E porquê só aqui? Há casacos em todo o lado, suponho... Ou é simplesmente mais uma regra de oiro criada pela sociedades consumista e afinal, é sempre mais uma pataca que o mexilhão tem de pagar? Eu inclino-me para a segunda...

- O quanto cedo tudo se passa. Horários de trabalho, refeições, eventos... é tudo de "madrugada". O trabalho, ainda vá que não vá, entras cedo, sais cedo, podes ainda fazer alguma coisa. Mas agora, almoçar às 11:30, jantar às 18:00? Concertos/teatros a começar às 7:00 p.m.? O que não é mau, pois se for durante a semana o teu dia seguinte de trabalho não vai estar em risco. Ou se preferires, 10 da noite é uma boa hora para ir beber um copito. É bom... mas difícil de interiorizar.  Contudo, na Holanda onde vivi (não é Amsterdão), as lojas tinham horários que tornavam o dia-a-dia complicado: tudo fechava às 5. E só um domingo por mês é que as coisas abriam. Na Finlândia, os horários das lojas não são tão restritos. Mas nada bate os nosso centros comerciais a fechar à meia-noite, todo o santo dia. Temos assim tanto dinheiro para gastar? Até parece...

Há mais, muito mais. Mas estas foram as que me lembrei quando ontem saí de um concerto às 9:15 p.m. Esta é a hora que qualquer coisa começa em Portugal.