Wednesday, May 29, 2013

boa filha a casa torna

Ai que baldas que eu ando! Não é por mal. Mas o never-ending inverno desta terra suga a energia a qualquer um. Mas já passou (pelo menos, por uns meses -poucos- o casaco à boneco da Michelin não vai ver a luz do dia, luz essa que já é em demasia).
Para voltar ao tempo actual, vou fazer um apanhado geral, assim rapidinho:

* Foi ali já vim # 4, 5 e 6.
Não me posso queixar muito, que mesmo assim, ainda me fartei de passear. Um lugar novo e 2 repetidos, por fins de semana prolongados, mas deu para sair da rotina.
Falo-vos então da Lapónia, de Bruxelas e de Amsterdão.
A Lapónia tinha como objectivo a visualização das auroras borealis. Mas elas não estavam para aí viradas e gozaram o prato de ver uma cambada de tolinhos, enregelados, no meio do nada, a olhar para o ar. Contudo, todo aquele branco supulcral tem o seu quê de bonito. Ênfase no "quê".


A linha do círculo polar ártico. I want off!
os animaizinhas que ali vivem... taditos.


É o que o nome indica.

Era um lago, mas desapareceu.

A cabana, junto ao lago.

pick-a-poo

Os outros dois locais serviram para matar saudades de pessoas, de civilização e de comer. Ir a Bruxelas é quase como ir a Portugal. Ela foi língua estufada, cozido à portuguesa, comprar bacalhau, beber bica e comer pastel de nata! Já não é nada mau! :)
* Já acabei as minhas aulas de viola por este semestre. Em Agosto, recomeçará se encontrar um professor para mim. Entretanto, estou desviolada... Se alguém souber de um sítio que venda violas em segunda mão... Let me know!

* Praia! Ah, era só para enganar. Nope, não houve nada desse género!
* A Maria Beatrix foi limpar os dentes. Mas teve direito a anestesia geral e tudo! Aproveitaram e cortaram-lhe as imensas unhas que ela tem e levou uma rapadela na pança para se ver se tinha alguma cicatriz de estrelização. Tinha. Good.
E aqui ficam umas fotos amorosas da moça. Dorme assim, enrolada sobre si própria, tipo bichinho de conta e com a pata sobre os olhos.
A minha teoria é que ela é mesmo uma gata Finlandesa e não consegue dormir com a claridade toda que há por aqui (quando há), pelo que tem de tentar obstruir a luz como pode... como nós, antes de termos cortinas "Sun blocker 5000".

oooooohhhhhh :D

Thursday, May 23, 2013

O corte finlandês

Para quem não sabe, o Stockmann é o Corte Inglês cá da zona. Com o seu display comercial que abomino (não consigo encontrar nada!), os Finlandeses gostam muito e é deus na terra e o Stockmann no céu. Gente que é gente faz as compras no Stockmann. Os saldos são uma loucura!! Rodos de povo à porta horas antes da abertura para comprarem coisas com desconto mas que mesmo assim não deixam de ser caras como o raio! Mas como diz a minha colega finladesa: "É barato para nós". Amiguinha, força nisso! 
Há um mito colectivo de que, se não há no Stockmann, então é porque não existe (nota da autora: não existe NA FINLÂNDIA).

Embora tenha momentos surreais, esse mito é muito fácil de "bustar". Um dia tem à venda pastéis de nata, origem Espanha, noutro tem sumos Compal nas prateleiras. Mas assim do topo da cabeça consigo enumerar uns 10 produtos que a Stockmann não tem.

Para não dizerem que sou eu que sou muito esquisita, aqui vai uma história:
Era uma vez uma menina cuja mãe gosta de brincar às cozinheiras e sugeriu que a menina fizesse uma coisa com massa "bric". A menina avisou a mãe: olha minha mãe, que isto aqui não existe. A mãe ripostou que tinha que haver, que é um ingrediente internacional e que na Stockmann devia haver.
A menina, bem mandada (sempre!), foi ao Stockmann. Desorientada, perguntou a um anãozinho que lá trabalhava. Ele respondeu: Ah não, menina, nem sequer temos massas prontas refrigeradas. Só temos congeladas e essa massa não há na Finlândia.

Moral da história: A menina veio com uma massa filo congelada debaixo do braço. A mãe passou a acreditar na menina que isto é o fim do mundo. O Stockmann não tem tudo.=> Myth BUSTED!