Wednesday, February 27, 2013

Finland: the good, the bad and the ugly

Estou sempre a queixar-me, não é? Antes era da Holanda, agora é da Finlândia, dos finlandeses (como estereótipo) e do facto de uma pessoa se sentir mesmo no fim-do-mundo. 
Faz parte. Ter olhos e espírito crítico, é o que dá.
Não quer dizer com isso que só critique para dizer mal. Há algumas coisas boas! Por exemplo... errr...hmmmm... não me estou a lembrar de nenhuma, mas prometo fazer esse exercício e qualquer dia faço um post "as 10 5 3 coisas que gosto mais na Finlândia". 

Mas há muita coisa idiota, incompreensível e que me fez escrever aqui e agora as "10 things I hate bout Finland".

1- Começo com uma notícia fresquinha do jornal de hoje: Finlândia é o único país dos países nórdicos que não autoriza o casamento gay. Até os mega-católicos dos espanhóis se actualizaram. Not pretty, Finland!

2- Os preços elevados.  E não me venham cá com "ah e tal mas os ordenados aí são mais altos". Pois são, mas os custos da habitação, serviços e produtos de primeira necessidade são também mais caros, logo os ordenados altos esfumaçam-se num instante.

3- A pouca variedade de produtos. São 2 (ou 3) empresas que gerem os supermercados aqui. Há o que eles querem que haja, aos preços que eles querem e se não quisermos... não comemos, pois não há alternativa. É que eu ia jurar que estava na europa e que até há transportes por aí e meios de preservação de alimentos... Podia haver muito mais coisas aqui mas eles não querem. É a conclusão que se chega.

4- O café... :'(

5- A neurose do álcool. Como já vos contei, aqui o estado é que detém o monopólio das lojas onde se vendem alcóol. Nos supermercados, só há líquidos com percentagem de álcool menor que 3,4. O restante (e até 49%) é vendido nas ditas lojas, a preço de ouro. Todo esse controlo tem como consequência criar uma psicose na malta e assim que apanham alcóol, descontrolam-se. Por vezes chega a ser triste as figuras que andam fazendo. O fruto proibido...

6- Burocracia e cegueira processual. Instruções, manuais, regras, ordens... Põem uma tala nos olhos e são completamente INFLEXÍVEIS: não está escrito, não acontece! Regras são boas, mas somos humanos, com cérebros e com sentimentos. Eles não.

7- A língua e a monotonalidade. Já não consigo dizer se alguma vez conseguirei falar isto fluentemente. Vou continua a tentar, claro (neste momento estou num hiato). Tem palavras muito giras e uma maneira de falar por vezes muito engraçada. CONTUDO, o que me irrita, é o tom, sempre o mesmo, sem qualquer inflexão. Podem estar a contar a maior piada do mundo mas parece que estão a dar um sermão numa missa de domingo.

8- A apatia a roçar o desumano. Uma das primeiras coisas que me contaram quando cheguei: não esperes que, se um finlandês te pisar, te vai pedir desculpa. Olha lá, então porquê? É mesmo assim, eles são assim. Pois isso nunca me caiu lá muito bem, podem ser "assim", mas no meu livro "assim" chama-se "má educação". Nunca me pisaram. Mas já me deram encontrões, não me seguraram portas, não dão as salvações e não demonstram qualquer tipo de simpatia para com os nossos problemas. Devem ter uma bomba hidráulica como coração, só para manter os sinais vitais e para executar as tarefas básicas do organismo.

9- A sensação de isolamento. Da ponta da europa vim. Na ponta da europa estou. No entanto, sair daqui não é fácil: é tudo longe e caro. Em Portugal havia promoções para viajar para todos os destinos por tuta e meio, low-costs, promoções. Daqui não saio por menos de 200€. Só se quiser ir para outras cidades finlandesas espectaculares! (espectacularmente isoladas...)

10- Os horários dos transportes. Não preciso, é verdade. Mas posso vir a precisar. E saber que numa capital supostamente cosmopolita, o Metro, num sábado à noite, acaba ás 11:30...os comboios por essa hora... os autocarros, só há uns tristes de hora a hora... tram, tá quieto... é triste.

PS. Ah, lembrei-me que houve um dia em que um motorista do tram esperou que eu chegasse à paragem e não me fechou as portas na cara. Foi simpático. Devia estar com os copos. 

4 comments:

Anonymous said...

Epá...apanharam-te num dia mau!!!Deve ser um inferno viver aí.Coitados dos finlandeses;até te chateia as figuras que eles "andam fazendo" quando bebem um pouco mais e nem o motorista do tram escapou,mesmo tendo sido simpático e tudo.
Vai comer uma colher de açucar que isso passa!!!

tania said...

Mas uma pessoa so' pode ver as coisas boas? E as coisas ma's? Tb existem... e pq nao referi-las? ha' coisas boas e ma's em todo o lado. Estava so' a dar a minha opiniao! E e' mm para isso que tenho um blogue! :)

Anonymous said...

Sim,sim,claro que podes pôr as coisas más,mas è só o que pôes!!!Não me digas que não ha coisas boas?No n° 9...não me parece que tenhas aproveitado assim tanto os destinos por-tuta e meia quando estavas em portugal;agora,sim!!!e mesmo sem low-costs.
Ainda não aprendeste a regra básica do emigrante-"o nosso país è onde ganhamos o pão"!!!

tania said...

Nao aproveitei porque nao tinha dinheiro!!! Mas que havia, havia! e tinha muita pena em nao puder disfrutar!