Wednesday, February 27, 2013

Finland: the good, the bad and the ugly

Estou sempre a queixar-me, não é? Antes era da Holanda, agora é da Finlândia, dos finlandeses (como estereótipo) e do facto de uma pessoa se sentir mesmo no fim-do-mundo. 
Faz parte. Ter olhos e espírito crítico, é o que dá.
Não quer dizer com isso que só critique para dizer mal. Há algumas coisas boas! Por exemplo... errr...hmmmm... não me estou a lembrar de nenhuma, mas prometo fazer esse exercício e qualquer dia faço um post "as 10 5 3 coisas que gosto mais na Finlândia". 

Mas há muita coisa idiota, incompreensível e que me fez escrever aqui e agora as "10 things I hate bout Finland".

1- Começo com uma notícia fresquinha do jornal de hoje: Finlândia é o único país dos países nórdicos que não autoriza o casamento gay. Até os mega-católicos dos espanhóis se actualizaram. Not pretty, Finland!

2- Os preços elevados.  E não me venham cá com "ah e tal mas os ordenados aí são mais altos". Pois são, mas os custos da habitação, serviços e produtos de primeira necessidade são também mais caros, logo os ordenados altos esfumaçam-se num instante.

3- A pouca variedade de produtos. São 2 (ou 3) empresas que gerem os supermercados aqui. Há o que eles querem que haja, aos preços que eles querem e se não quisermos... não comemos, pois não há alternativa. É que eu ia jurar que estava na europa e que até há transportes por aí e meios de preservação de alimentos... Podia haver muito mais coisas aqui mas eles não querem. É a conclusão que se chega.

4- O café... :'(

5- A neurose do álcool. Como já vos contei, aqui o estado é que detém o monopólio das lojas onde se vendem alcóol. Nos supermercados, só há líquidos com percentagem de álcool menor que 3,4. O restante (e até 49%) é vendido nas ditas lojas, a preço de ouro. Todo esse controlo tem como consequência criar uma psicose na malta e assim que apanham alcóol, descontrolam-se. Por vezes chega a ser triste as figuras que andam fazendo. O fruto proibido...

6- Burocracia e cegueira processual. Instruções, manuais, regras, ordens... Põem uma tala nos olhos e são completamente INFLEXÍVEIS: não está escrito, não acontece! Regras são boas, mas somos humanos, com cérebros e com sentimentos. Eles não.

7- A língua e a monotonalidade. Já não consigo dizer se alguma vez conseguirei falar isto fluentemente. Vou continua a tentar, claro (neste momento estou num hiato). Tem palavras muito giras e uma maneira de falar por vezes muito engraçada. CONTUDO, o que me irrita, é o tom, sempre o mesmo, sem qualquer inflexão. Podem estar a contar a maior piada do mundo mas parece que estão a dar um sermão numa missa de domingo.

8- A apatia a roçar o desumano. Uma das primeiras coisas que me contaram quando cheguei: não esperes que, se um finlandês te pisar, te vai pedir desculpa. Olha lá, então porquê? É mesmo assim, eles são assim. Pois isso nunca me caiu lá muito bem, podem ser "assim", mas no meu livro "assim" chama-se "má educação". Nunca me pisaram. Mas já me deram encontrões, não me seguraram portas, não dão as salvações e não demonstram qualquer tipo de simpatia para com os nossos problemas. Devem ter uma bomba hidráulica como coração, só para manter os sinais vitais e para executar as tarefas básicas do organismo.

9- A sensação de isolamento. Da ponta da europa vim. Na ponta da europa estou. No entanto, sair daqui não é fácil: é tudo longe e caro. Em Portugal havia promoções para viajar para todos os destinos por tuta e meio, low-costs, promoções. Daqui não saio por menos de 200€. Só se quiser ir para outras cidades finlandesas espectaculares! (espectacularmente isoladas...)

10- Os horários dos transportes. Não preciso, é verdade. Mas posso vir a precisar. E saber que numa capital supostamente cosmopolita, o Metro, num sábado à noite, acaba ás 11:30...os comboios por essa hora... os autocarros, só há uns tristes de hora a hora... tram, tá quieto... é triste.

PS. Ah, lembrei-me que houve um dia em que um motorista do tram esperou que eu chegasse à paragem e não me fechou as portas na cara. Foi simpático. Devia estar com os copos. 

mudding - the new season

Toda a malta anda para aqui a bradar aos sete ventos: a Primavera já se sente, está mesmo a chegar, ai que bom a Primavera.

Eu abro a boca e rebolo os olhos... Ok, os dias já estão maiores, o dia 22 de Março estar aí a aparecer no calendário, mas isso por si só não implica que seja "Primavera". Não há temperaturas amenas, nem flores, nem verde, nem abelhas. Continuam temperaturas à volta de zero, a haver neve e branco por todo o lado... está tudo igual! Não é "Primavera"!

Não, pois antes disso ainda temos de penar e passar por uma efémera "estação" que eu carinhosamente apelidei de "Mudding". É quase Spring mas sem o "spr". Em vez disso, tem "mud", que é mesmo disso que se trata: água suja e lama a rodos! Parece que esteve o dia todo a chover, não se pode meter o pé em lado nenhum que é tudo uma poça nojenta pegada.

Que querem que vos diga? Falem-me de Primavera em Maio... 
A mim não me enganam pois eu SEI o que é uma Primavera. 

os pontos amarelos são flores.
 

Saturday, February 23, 2013

Helsinki eye

Porque Helsínquia tem um horizonte muito bonito e digno de se ver, vão montar uma roda gigante, que vai ainda mais alto que uma coisa que já existe, semelhante, no parque de diversões. 
Mais uma vez friso: porque Helsínquia tem muito para ver...  e ainda por cima ali... Lame.


Wednesday, February 13, 2013

Snowball II

Há já muito tempo que não falo da Estela, não é? Pois tomem.
A Estela está em Portugal, na sua família nova, onde é bem tratada e onde tem um quintal onde pode exercer a sua ocupação favorita: dormir esparramada ao sol. 
Aqui não há quintal nem sol. 
Seria uma maldade fazê-la vir para estas latitudes assim como a sua família nova também não ia ficar muito satisfeita. 
Tinha saudades de ter um gato que se sentasse no meu colo ao serão, em que fazia festinhas e recebia ron-rons. E de ter um gato, elegante e dono do seu nariz, com as suas particularidades felinas que são um máximo! 
Andei, andei e fui buscar uma gata ao "gatil".
Dêm as boas vindas à Senhora Dona Beatrix Kiddo d'Oranje Hemingway. Para além da carinha laroca, a senhora têm 6 dedos em cada pata. Uma mutação que a torna ainda mais especial. She´s a freak. It fits perfectly in our family! 



que patinha preenchida!

Mais fotos virão, pois hoje, no seu primeiro dia cá em casa, ainda está muito assustadiça. Mas mesmo assim, já deu ares da sua graça, bisbilhotou tudo, roçou-se e aceitou todas as festinhas que lhe quisermos dar. Ainda não comeu nada de jeito e ainda não foi ao WC. Espero que ela acerte no "buraco"! Se tiver outra Estela... não sei o que faça...

*****UPDATE*****
Apraz-me dizer que a rapariga tem feito tudinho no buraco respectivo. 
E é uma fofura, bem comportada, ainda não lhe vi os dentes pois não mordeu nem bufou a nada. Temos gata... :)

valentinho finlandês

Enquanto o resto do mundo enche as montras de corações, frases lamechas e ursinhos carinhosos, os Finlandeses transformam este dia em algo ainda mais melhor bom: Ystävänpäivä - o dia dos amigos! E supostamente, a nossa cara-metade estará incluída. 
É um dia para estar com toda a gente que se conhece (menos os familiares, que esses têm o Natal!), trocar presentes e cartões. As lojas fazem promoções "leva 2 paga 1", os restaurantes enchem-se, bebe-se muito e todos ficam felizes.

Possivelmente também há um bolo para celebrar a ocasião.  Ah, não é preciso... "Qualquer coisa" + Coração = bolo de Valentinho.


Sunday, February 10, 2013

Carnaval... aqui é mais bolos...

Não se goza o Carnaval como na nossa terra. Aqui, a terça-feira antes da quarta-feira de cinzas chama-se "Shrove Tuesday". No domingo antes (hoje), celebra-se como se pode: como só há neve, o que se faz é simplesmente ir brincar com ela, mais propriamente deslizar de trenó.
Nesta altura, come-se então uma tradicional sopa de ervilhas e outro bolo criado para a ocasião, desta feita chama-se Laskiaispulla. Como já toparam, isto tem a ver com a religião e tendo em conta que a quaresma está aí a chegar, estes bolinhos são mesmo para estragar e cheios de ingredientes pecaminosos.

Assim, chega-nos às montras uns bolos cheios de creme, a fazer lembrar os babás, mas concerteza sem metade da piada. 

Aqui fica mais uma invenção culinária dos meus ainfitriões:

como se chama? Laskiaispulla!


Finlandia: particularidades

Existiu um senhor chamado Johan Ludvig Runeberg, nascido a 5 de Fevereiro 1804. Foi um poeta muito respeitado tanto nesta terra como no resto do mundo. 

blá blá blá... o senhor morreu em Porvoo em 1877. 

Acontece que nos anos 1800s era normal fazer-se um bolo e dar-se um nome de uma celebridade. Este senhor não passou em branco e um café em Porvoo começou a fazer bolos "Runeberg". 

E tcharã, nestas últimas semanas, e apenas nesta altura, é ver pelos cafés por toda a parte, em destaque, este bolinho:





Ouvi opiniões diferentes e não me seduziu o suficente para experimentar... meh...

Quando vierem cá, podem passar por uma estátua dele na maravilhosa avenida Esplanadi.

é ele ali ao fundo

Saturday, February 9, 2013

More cute guys making stupid faces


Marlon Brando

É assim: quem faz caretas e cara de anormal nas fotos... é porque pode! :D

Bom fim-de-semana. Tirem muitas fotos do vosso carnaval para eu ver.

Eu vou ali mergulhar na neve e levar com frio nas trombas. 

(Desculpem o post insípido... mas o Marlon Brando faz isto a uma pessoa :)

Tuesday, February 5, 2013

oh brain... keep up the good-enough work!

As férias que tive ainda estão em acção, no sentido que o meu cérebrozinho, coitadinho, ainda se sente mais-ou-menos recuperado. Embora custe a arrancar (afinal, isto é material do século passado!), tem-se desenrascado muito bem. Lembro-me de muitos eventos sem ajuda da agenda, tenho aprendido imensas coisas novas que ainda me lembro passado uns dias e quase que sinto que sou "produtiva". Quantas vezes me apanhava a ler e reler a mesma frase sem a compreender... 
Deixa ver quanto tempo isto dura. I'll return to "dumb" stage any day now... 
Enquanto esse dia não chega, ficam a saber que aprendi a fazer meias com 5 (sim, CINCO) agulhas de tricot. Hein? Impressionados? 

requer imaginação, mas é o cós da meia

Então ficam também informados que já sei tocar 5 (sim, CINCO) notas na viola! :) 

é assim que tem de estar.


já não está tão bem, mas escapa!
As fotos foram tiradas pelo professor para eu me lembrar e saber como devo ter os deditos e a mão.

Aprender a tocar viola desafia-me toda a minha linha de raciocínio. Aqui, tenho de saber de antemão o que quero tocar, qual o som que quero que saia. E a mão, treinada, vai ao sítio, sem qualquer referência visual, porque foi "ensinada" que para aquele som, a mão tem de ir para ali... Acho completamente possível tocar este instrumento de olhos fechados.
No piano, a nota está à nossa frente, disponível, estou a vê-la. Quero tocar. Vou lá com o dedo. Piano é a coisa mais simples do mundo! :P