Saturday, December 15, 2012

Home, sweet and warm and moist, home

Quando aterrei e saí do avião, senti de imediato a roupa a colar-se ao corpo, a cara a humidificar-se e um ar denso. Eh pá, vim parar a um país tropical e não sabia!
Chego a casa, desabitada e fechada há meses, encontrava-se fria e húmida. Aquecedores, cobertores, polares, meias e pantufas... e tiritando de frio.
Onde punha a mão, tudo cola, tudo pega.

O que raio se passa aqui? Isto sempre foi assim? 

Muito confuso... 


Thursday, December 13, 2012

mais uma viagem, mais uma volta

Este ano vou passar o natal a casa. E aproveito, já que vou para esses lados, continua-se uns quantos Km mais e vou apanhar um calorzinho e um solinho ali a Cuba. Mas isso é só para o ano.

Estou a precisar de ir a casinha. Foram muitos meses aqui. E estes últimos meses deram conta de mim. Andei a fazer contagem decrescente para hoje... 

A mala está feita! O táxi marcado! O avião aguarda-nos...
Portugal, here we come!! :D (*happy*)

 

Friday, November 30, 2012

pázinha e ancinho

Em alusão aos nossos brinquedos de praia... lembram-se? Um baldinho, com uma rede, onde tinha 1 buraquinho em cada lado para se enfiar a pázinha e o ancinho, não era? 
Pois aqui, um baldinho desses em ponto grande é de facto quase um kit SOS que todos devíamos ter se queremos andar na rua.

Um nevão fustiga Helsínquia, que deixou as ruas rapidamente intransitáveis. Para quem tem de andar de carro, digo-vos que é uma tarefa quase hercúlea:
* entrar no carro: requer fazer uma escavaçãozinha para conseguir abrir a porta. 
* para o mover: a pázinha aqui é muito bem vinda e toca a tirar a neve à volta do carro, rodas, à frente, atrás e já agora, do caminho.
* durante a circulação: conduzir na neve requer nervos de aço! Ainda não o fiz mas não me parece lá grande espingarda...
* estacionar: chega-se ao destino. Encontra-se um lugar... mas está cheio de neve: sai-se do carro, 4 piscas, toca a escavar a neve do lugar para se meter o carro, para este ficar coberto de neve e o ciclo repete-se.

Concluo, e muito bem, que vai ser necessário toda uma restruturação da nossa mentalidade "sulista" para nos adaptarmos a viver nestes países. Não estamos habituados a esta trabalheira toda só para sair à rua!
A quantidade de roupa e acessórios necessários envolvidos na vivência diária num inverno destes é estonteante: camadas de roupa, meias/collants, casacos grossos/impermeáveis, luvas/barrete/cachecol/tapa-orelhas, botas feiosas mas impermeáveis + sapatos/roupa extra para se vestir no trabalho. Todo um strip e mudanças são feitas quando se chega ao destino.
 
Andar na rua é difícil e andar pelas lojas também. Pois devida à quantidade industrial de roupa, quando se entra em qualquer lado, a temperatura encontra-se boa para andar mas é de t-shirt. Toca a tirar tudo! Ok, não se comprou nada, vamos ver a outra loja... Toca a vestir tudo outra vez! Entretanto fica-se um bocadinho suada. Já na rua, leva-se com o fresquinho pela cara molhada, o que é óptimo! NOT!

Tudo muito complicado, muita logística, pouca mobilidade, e para não falar do elevadíssimo risco de partir uma perna quando menos se espera.

Não tirei fotos pois estava ocupada a ver onde punha os pés, mas deixo-vos aqui um link para o jornal local, onde podem ter um cheirinho do espectáculo que aqui se vive. Ondas de 9.4m aqui no canal em frente. Quem for à Estónia, vai vomitar, ai pois vai!! E no canto superior direito podem ver as temperaturas :) Está fresquinhooooo!
And its only the beginning... 

(Um videozinho aqui)

Wednesday, November 21, 2012

O rato já pariu a montanha

A maratona culinária terminou. Mas custou muito. 
Como boas portuguesas, gostamos de tudo fresquinho pelo que foi tudo feito de véspera e no dia.

Ora a malta trabalha. Após andar a fazer 10h de trabalho diariamente para garantir que às 4:00 da tarde de sexta podia sair com tudo feito (e foi uma semana muuuuiiito complicada), o que me apetecia mais era ficar a fazer comer até às 4 da manhã. Claro que não! O que me apetecia MESMO era: fazer comer até às 4 da manhã + dormir 3 horas + fritar rissóis/pastéis de bacalhau e cozinhar ainda mais (e lavar loiça e encardir a casa e o fogão).
Pois então estava nas 7 quintas, pois foi mesmo isso que aconteceu! 

Fiquei de "castigo" em casa, enquanto o resto da malta estava a montar a barraca. Quando cheguei com as últimas comidinhas, já tinha passado a enchente de pessoas, já estava acabar o comer todo e já não havia muito para fazer. Ainda fui graciada pela visita de uns colegas do trabalho e como nas tascas, fiquei encostada ao balcão na palheta. Os membros da comunidade portuguesa que participamos também deram muito apoio, divulgaram, apareceram e ficaram por ali na conversa. Por umas horas, aquele cantinho do centro comercial foi português. 

Não houve reclamações, antes pelo contrário. Para além da excelente comidinha, as "empregadas de balcão" eram uma simpatia! E giras!

E é para repetir?
Como o título sugere, este parto não foi fácil! Começámos com a ideia de uma mesa no jardim a vender uns tupperwares com umas coisinhas e acabámos com um stand, com 3 mesas e toldo num centro comercial onde se paga 1000€ pelo mesmo espaço (numa sitação normal). O menú também foi crescendo, a logística foi difícil, muitos pormenores para se pensar. De minha parte, dispensava a maratona culinária... 
Respondendo à pergunta: Sim, mas... noutras condições. Pensaria melhor no menú, talvez escolher 3-5 pratos, simples, que se comam bem de um dia para o outro e fazer mais quantidade. Já deu para ver que as pessoas pagam por isso, era chular a malta! eheheh
Ah, e fazer a coisa no Verão, num jardim perto de mim.

Deixo-vos aqui umas fotinhas. 

muita gente... e eu em casa.... :(
só coisinhas boas!
café Delta, para eles saberem o que é bom!

aquelas queijadinhas foi eu que fiz com estas mãos!

That's fucking team work! - SMILE!! já viram os crachás giríssimos que temos?
zooming out... para a posteridade!



Thursday, November 15, 2012

avaliação: F

Há 2 anos atrás, estava a ver um concerto de Tindersticks.

Há 1 ano atrás, estava no coro a ensair o Requiem de Verdi e a iniciar as aulas de canto.

Este ano... estou a fritar pastéis de bacalhau....

Improvement much? 

Claro que sim, estava a brincar! 

Também vou fritar rissóis!! Olarila!  

Wednesday, November 14, 2012

Restaurant day -17 Nov 2012

Busy bee.... bzzzz bzzzzz bzzzz

Restaurant day é uma coisa que fiquei a conhecer em Maio. É um evento internacional, mas aparentemente não existe em Portugal. O que é estranho, pois o que é preciso é bom tempo, boa comida e vontade de ganhar uns trocos, tudo coisas que abundam no nosso país. Mas deve ser por dar trabalho e isso é que não!
Então é assim: 4 vezes por ano, a câmara deixa que toda e qualquer pessoa monte uma barraca na rua (melhor nos parques e outros sítios bonitos e agradáveis) e venda qualquer tipo de comida, feita em casa, com carinho e amor.  A ASAE nesse dia fecha os olhos...

Em Maio percorremos as ruas a descobrir o que se come aqui. Não havia nada de extraordinário e tudo caro. Fiquei com fome. E pensei logo: olha só o sucesso que uma barraca de bifanas e pregos aqui não fazia! Carne temperada, com sabor... caiam para o lado! 

Estava a contar isto às minha portuguesinhas, à Sandra Elizabete e à Paula Alexandra, e elas ficaram com um brilhozinho nos olhos! Não pelas bifanas, mas pelo conceito em si. 

Então o trio Odemira iniciou uma cruzada: Fazer uma barraca de comida portuguesa no próximo dia dos restaurantes (Ravintolapäivä, em Helsínquia). 
Pois que agora é Novembro e está um frio do caraças, pedinchámos e pedinchámos e lá nos deixaram montar a barraca num centro comercial, de borla, com electricidade e mesas e ao pé de uma entrada do Metro e dos autocarros. Vivó luxo! Melhor é impossível.
Somos os "Sunshine Flavours" e com a ajuda de uma nortenha com boa mão culinária (é um pleonasmo, eu sei), vamos mostrar a esta gente o que é bom. O objectivo final é eles gostarem tanto que têm de ir fazer férias a Portugal e ajudamos assim Portugal a sair da crise. Não é bonito?? Tudo para vocês! :D


Cantinas são e serão uma bosta

NÃO SE FAZ "RIZZOTO" NUMA CANTINA! Arroz espapaçado não é um sinónimo de Rizzoto em terra nenhuma! Não se faz e pronto! 

Sunday, November 11, 2012

Direita, direita... não vira!

Há cerca de 2 semana, houve as eleições autárquicas na Finlândia. Um dos partidos na corrida era o denominado "True Finns", os verdadeiros finlandeses que, como o nome denuncia, é um partido de direita.
Do resultado das eleições veio a notícia que este partido teve cerca de 15% dos votos. Nada de espantar, perfeitamente em linha com o se passa por toda a europa. 

Embora não haja espanto, há de certeza um bocadinho de terror que nos passa pela cabeça "E se a tendência permanecer? Onde vamos estar daqui a uns anos?".
Ser-se emigrante no meio desta realidade está a tornar-se complicado. Mais e mais dificuldades estão a ser criadas para quem tem de fazer a vida noutro país. E o mais cómico-trágico da história, é esta hipócrisia da definição da "Europa", da livre circulação de bens e pessoas... O tanas! Isso não existe, ninguém quer que exista e fazem o possível para atirar areia para a engrenagem. 

Seguem-se uns exemplos:
- As matrículas dos carros não têm a mesma medida. Ao trocá-las, foi necessário fazer uns buraquinhos extras na saia do carro... Ora, expliquem lá porquê? 

- Para se ter um contracto de TV/Net/Telefone, alguém que chegue a esta terra tem de pagar um depósito de 300€ ou 500€ (depende da operadora) POR SERVIÇO, que nos é devolvido ao fim de 1 ano. Para não se pagar isto, teríamos de viver cá durante 2 anos, para eles poderem analisar o nosso crédito e/ou registo criminal... (sei lá!). Isto é "europeu" onde?

- Uma pessoa para dar sangue tem de ter um cartão de identificação finlandês. Ora eu e os meus não têm, pois estou afecta a um regime especial. Tenho um cartão do ministério dos negócios estrangeiros e um papel da câmara como moro aqui. 
Esses cartões/papéis não servem, os nossos BI de Portugal também não... E não aceitaram o sangue que se queria DOAR PARA SALVAR VIDAS DE FINLANDESES!! Isto é coisa de gente boa da tola??

- Já na Holanda, não me deixaram abrir uma conta num banco quando lá cheguei por eu não ter contracto de trabalho. Tinha dinheiro para lá pôr, mas não era dinheiro "holandês"... deve ter sido isso...

Isto é só que me salta na cabeça agora assim de repente, mas aposto que no dia-a-dia devo ver e reconhecer mais situações do estado da nossa "Europa".

Com partidos fascistas a dar bitaites nos governos... talvez voltemos ao feudalismo daqui a uns anos. :P

Cicle of poo.

Saturday, November 3, 2012

ópera para que vos quero

Acorda-se um dia e pensa-se: Hoje vou pegar numa ópera, mundialmente conhecida, que já esteja bem embuída na mente das pessoas devido a esta existir já há umas centenas boas de anos e vou traduzir da sua língua original, o alemão, para outra igualmente musical: o Finlandês.

Não ficaram excitados? Pois, eu também não.

Deve ser da latitude e do ar rarefeito desta terra, que ocorrem estas belas ideias de merda. Aconteceu, é verdade, eu estava lá e vi: A flauta mágica, de Mozart, em Finlandês. 

A sala da ópera de Helsínquia não é uma sala de ópera como se espera, um edifício antigo, com tectos trabalhados, a cheirar a velho e usado. Não. É um edíficio moderno, com uma acústica espectacular, com um palco modernaço, cheio de alavancas e mecanismos que permitem mudar de cenário num abrir e fechar de olhos. 
Deixem-me esclarecer que o espectáculo em si foi muito bom. Os cenários, o guarda roupa, a caracterização, mesmo os cantores notava-se que eram esforçadinhos e não uns rasga-a-manta quaisquer. A sala não era bonita mas era práctica: andares com cadeiras para uma pessoa ver e ouvir com condições. É o que se pretende. 

Para ajudar na compreensão da peça, existia ainda legendas em finlandês, sueco e inglês. 

Então porque é que me estou a queixar? Porque não se ASSASSINA assim uma obra prima! É o que foi escrito pelo autor e é assim que deve permanecer! PONTO! Também não percebo o que eles dizem em alemão... certo, mas reconheço os sons, e não soa bem quando se traduz. É errado! PAREM COM ISSO!

Para a próxima tenho que ler bem as letras pequeninas.

uma viola, lá lá lá

O piano é muito bonito mas não é nada portátil e isso sempre me arreliou. 
Por outro lado, não percebo nem nunca consegui aprender a tocar cordas. Tentaram-me explicar, faz tudo muito sentido... mas não vai.
Numa esperança de me ocupar e conhecer mais pessoas, em Agosto inscrevi-me na Academia Sibelius, o conservatório de cá, para ser a cobaia de um aluno aspirante a professor. Assim, o rapazinho pode fazer as cadeiras pedagógicas e eu aprendo um instrumento, sem ter de gramar com aulas de solfejos e educação musical. 
Inscrevi-me para 3 dos 4 naipes de cordas da orquestra. O contrabaixo sofre do mesmo mal do piano por isso ficou de fora.
Quem ganhou foi a viola, a prima com catarro de fumador e alcoólica, do violino. Ou seja, é a mesma coisa mas tem uma janela de tons mais graves.  

Dia 1 de Novembro, entrei na Academia para a minha primeira aula de viola. Aprendi a segurar no instrumento (não se toca na caixa, só no braço), a colocá-lo na maneira correcta no meu ombro, a segurar no arco, a dedilhar e como os meus braços devem estar... 

Saí de lá com uma viola debaixo do braço. 
Embora só tenham meu um formulário on-line, passaram-me assim um instrumento para as mãos. Extraordinário!

Se fosse uma boa portuguesa, já tinha vendido aquilo às peças! 

já em casa, fazendo o tpc

Friday, November 2, 2012

Halloween 2012

And the crowd goes wild... No, it doesn't. 
Há uma série de anos que não me mascaro. Não tenho jeito para me pintar, não tenho espírito de actriz e entrar na personagem e, at last but not the least, não tenho pachorra. 
Este ano, fui arrastada motivada contagiada pelas minhas novas amigas portuguesas-exiladas-na-finlândia para nos mascararmos. É practimente só uma desculpa para nos juntarmos e sairmo: OK, aceito. 
Cá em casa decidiu-se fazer um social statement: Padre católico e criança. E não, não se benzeu ninguém. 

A noite de 26 de Outubro (Halloween adiantado!) iniciou-se com um jantarzinho e as hostilidades começaram:

ainda com "bom" aspecto...
what's all this then?
vinde a mim, criancinha!!!
todos
ao fresquinho, uns -5ºC, à espera para entrar na disco..
 E agora devem passar outros bons aninhos até este equinócio voltar a acontecer.

Thursday, November 1, 2012

Fui ali, já vim nr 1

Inicio aqui uma rúbrica: as escapadelas. Daí o número 1, pois vão ser mais que muitas e assim facilita a vossa compreensão. A próxima vai ser a "2".
Já disse e reitero: não é por estar emigrada que todo e qualquer dia de férias que tenho direito deverei passá-lo em Portugal. Não. Contudo, para o ano vou a Portugal no verão porque tenho saudades e porque quero, não porque tem de ser. Estão a perceber a diferença? Óptimo.
Já com algumas viagens marcadas e outras tantas planeadas para 2013, esta rubrica começa então com o destino: COPENHAGA, Dinamarca.
Porquê Copenhaga?! Estavam vôos em promoção na Finnair. Por isso.
E também porque não conhecia e é já ali! 
Montámo-nos no avião numa sexta e lá fomos para a terra dos Marmaduques (Grand Danois). Não vi nenhum e foi desapontante...
Vi foi muitas outras coisas, muito mais giras! E podiam ter sido muito melhor, se não estivesse um tempo do cócó e se eu não estivesse tão podre de velha, gasta e usada. Mas mesmo assim, fartámo-nos de andar e de ver coisinhas bonitas. Querem pormenores e recomendações? Aqui vão:

* A cidade tinha obras por todo o lado. Por um lado demonstra cuidado na manutenção, por outro, torna-a feia, desorganizada e barulhenta. 

* O nosso hostel estava muito bem situado, pelo que fomos e viémos das atracções turísticas a butes.  Recomenda-se. 

* Vão ao posto de informação. Há muita coisa e é tudo de borliú. 

* Toda a cidade com um fio de água pelo meio ganha piada. E um passeio de barco é sempre um must. 

* Não recomendo a compra do cartão "Copenhaga", só se ficarem longe do centro e necessitarem de transportes. Os museus ou são gratuitos ou têm um dia da semana cuja a entrada é à borla. Se pesquisarem isso de antemão e planearem os percurso, a coisa sai em conta.

* Os restaurantes e cafés e afins abundam. Muita cozinha internacional mas umas quantas pérolas de comidinha local que tivémos a sorte de descobrir. 
Aconselho o "La glace" para enfardarem boa pastelaria: os danish e não só! É a Brasileira em Lisboa e a Mimosa no Montijo... mas melhor! 
Para as sandes abertas que eles lá comem, o Smørrebrød, recomenda-se vivamente o restaurante Schønnemann. Porções generosas de "recheio", nomeadamente de arenque, acompanhado por Snaps. Diz-se que o arenque deve ficar a nadar no nosso estomâgo, no tal Snaps... Crazy people! ;) 

* É tudo muito acessível. Embora seja uma capital nórdica, os preços não são tão extraordinariamente estúpidos. Contudo, tenham em conta que eu moro na Finlândia e que todo o resto do mundo é, para mim agora, mais barato!

Moral da história:  se poderem passar por Copenhaga, passem que vão gostar. Quando se pensa em "Europa"... É Copenhaga.
torres e estátuas... é a nossa Europa cheia de história.

espaços verdes com fartura

Kastellet

Kastellet e uma igreja

Museu de arte

Pequeno-almoço no La Glace
Sun chariot,  no museu de arqueologia: GRÁTIS SEMPRE!

jardim interior da Ny Carlsberg Glyptoteket

fantástica colecção, a desse senhor Carlesberg

a foto do postal: Ny Havn

no topo da Rundetaarn, um sistema solar com o sol no centro... Blasfémia!

a vista da torre, que servia de observatório. Foi onde o senhor Tycho Brahe se inspirou para escrever a sua teoria
a famosa sereia
tinha um ar tristonho... toma lá uma beijoca!


a câmara municipal


Monday, October 22, 2012

ê nâ sô lá muito de concertos...

Tenho que ficar em pé e dançar e tal. Só coisas que eu não gosto! Eu não danço que fico mal disposta! :P Mas pronto, se por acaso o rabinho abanar, melhor, quer dizer que até estou a gostar (como os cães).
E estando cá há 7 meses, ainda não tinha testemunhado nenhum concerto de-para-com finlandeses. Fui convidada para ver um grupo, Eva&Manu. A moça é da casa mas o rapazinho é Francês e cantam em Inglês. Por ser um bocadinho internacional, lá fui. Não conhecia mas ia de espírito aberto para abraçar tudo o que me quisessem dar (ai, coisa má linda!), num espaço dito de culto do underground musical de Helsinkia=Finlândia, o Tavastia.
Ela falava para audiência em finlandês, claro, a malta ria e eu ficava a apanhar bonés... whatever, a história da minha vida!
Mas lá cantaram e até não foi mau nem nada. As vozinhas deles era muito aceitáveis, as músicas eram intimistas e bem feitinhas. Eles foram muito profissionais, pareciam bem ensaiadinhos e tudo. Metia um violencelo e puff, levou logo mais uma estrela porque sim! - já vos disse que agora a minha panca é ir aprender a tocar violoncelo ou violino?
Anyhoo, bati palminhas e gostei muito da noite. Se se estão a questionar se abanei a cauda, sim, abanei um bocadinho.
As estrelas estavam no bar a vender o CD e aqui as "gruppies" foram sacar um autógrafo! Acho que nunca pedi autógrafos a ninguém... 

 
left to right: Manu, Eva and the grouppies!
E se querem mais uma prova da minha entrega e dedicação, se forem aqui, debaixo do título 10.10 Tavastia, na foto, quem é que está na primeira fila a bater palminhas, quem é?? Ah pois é!

Sunday, October 7, 2012

Isto há lá coisas...

Quem me havia de dizer há 25 anos atrás, que estaria hoje, em Helsínquia (podia parar aqui, mas não) a desfolhar e a tocar as músicas do meu primeiro livro de piano?? 

Tentei dedilhar a música do Piano (o filme) do Michael Nyman, a minha adorada valsa de Chopin, os estudos de Bach, as sonatas de Mozart, variados exercícios... tudo se varreu! Já não sei tocar nada. Já sabia disso mas hoje voltei a lembrar-me. Tenho um piano lindo em casa (PT), desafinado e onde já não toco há sei lá quantos anos. 
Hoje deu-me nostalgia pelo que sabia, pelo quanto boa fui, pois até não tocava mal não senhora - não era nenhuma virtuosa, tinha as minhas limitações, mas até me safava benzinho.
Tanto tempo, suor e lágrimas desperdiçadas, para nada :( Tenho um bocado de pena.
Se pudesse viver tudo outra vez, acho que escolheria outro instrumento, um violino ou violoncelo e tornava-me elemento de orquestra, profissional, que não faz mais nada se não tocar música todo o santo dia!

Saturday, October 6, 2012

é féta, é féta, ninguém drome!

Como já tinha dito, fiz uma festa cá em casa. E foi logo à grande. 

Comecei por convidar todos os portugueses que conheço. Alguns só os vejo de raspão pelos corredores da ECHA, outros só os tinha visto uma vez e outros já contavam com umas quantas socializações. 
O tempo não ajudou e o piquenique no jardim aqui ao lado não tomou forma. É tudo aqui enfiado, que é mais acolhedor :)
Como haviam pais responsáveis, a festa foi marcada para as 4 da tarde. E foram chegando e chegando e chegou a uma hora em que eram cerca de 22 pessoas mais umas 7 crianças! Estava difícil a malta mexer-se! 
Os pais responsáveis começaram a despedir-se e ficou um número ainda muito jeitoso de gente a conversar, beber e comer!
Foi uma festa como em Portugal, uma mesa cheia de iguarias portuguesas: broa, bola de carne, arroz doce, suspiros, pastéis de nata caseiros(!), pudim flan do chinês, mousse de chocolate, salame, queijo do alentejo, azeitão e dos açores, salada fria de feijão frade, paio alentejano e uns fumados lá de xima, vinhos portugueses, aguardente de alambique privado, caipirinhas e sangria. Complementado com vários outros petiscos "internacionais", paté de atum, quiche, uma bola (parecida com a de carne) vegetariana,  salada de couscous, caril de lentilhas, ovos verdes (recheados), folhados de salsicha, queijo e fiambre, salada de tomate-mozzarela-basílico, humus, pretzels... e acho que foi tudo!
Foi muito comer, coisas que nem sequer havia espaço para as pôr, teve que ser em vagas... Um exagero, bem à portuguesa, a fartura, o pensamento não-quero-que-falte-nada! :) Faz parte, acho que nunca irei mudar nesse departamento.
Não tive jogos nem houve ninguém bêbado o suficiente para servir de bobo da corte. Foi um serão muito civilizado, em que apenas estivemos de conversa, a gozar com a nossa própria diversidade cultural, divertidos e bem dispostos. 
Algumas das pessoas ainda não se conheciam e espero ter ajudado a aumentar o seu círculo social, que nesta terra, parece ser quase matéria de vida ou morte.

A "desculpa" para esta festa foi celebrar os 6 meses na Finlândia, o fim do meu período experimental (e até tive um bom feedback), o fim do Verão e o início do Inverno. Tudo verdade. Mas tudo mentira. Eu queria era ter pessoas à minha volta. Quero uma vida social, se faz favor.
Posso dizer, com sinceridade que, uns mais que outros (claro), todos apresentam grande potencial. Isto de fazer amizades nestas idades é sempre um bocadinho díficil, a malta já está mais esquisita e não tem de gramar com tudo o que lhe aparece à frente! :P Mas de facto, estou esperançosa pois tive finalmente a sorte de ter encontrado alminhas com quem me vejo a partilhar vários e bons momentos! 
Mas isso ficará para o futuro me dizer. 

Preparação: metade ainda estava no frigo...
 Não tirei fotos durante a festa, estava demasiado ocupada! :) 

Despojos da noite

a zona das bebidas...

passei a semana toda a comer restos


Sunday, September 30, 2012

Rundance

Que esta gente gosta muito de desporto ao ar livre, já não é novidade nenhuma. Que se vê, faça chuva ou faça sol, sempre gente na rua a correr e a andar de bicicleta, uma pessoa já se habituou.
Agora imaginem-se, sentados num banco de jardim e verem "isto" passar à vossa frente:



Iam desmanchar-se a rir na cara da moça, ou não?

Pois parece que isto foi algo que foi "inventado" aqui na good old-end of the world Finlândia, para regozijo do mundo e chama-se "Rundance" (originalidade não falta aqui, hein!?).

Não tenho nada contra a dança, antes pelo contrário. Mas conjugar jogging com fazer figuras de anormal... Se calhar sou eu que sou preconceituosa, mas figuras de idiotas faz-se em casa!

Muito mais natural, é jogging e cantoria! Isso sim! Vou ver se lanço esta moda ;)

Tuesday, September 25, 2012

o vento mudou e ela não voltou

(não sei mais da letra desta maravilhosa música ligeira portuguesa)

Acontece que, meus amiguinhos, já se acabou o Verão no calendário. Vocês, por aí por esses países sujos do sul, podem ainda ter muito sol e calor e blá blá blá, mas no mundo civilizado a coisa é como está escrita no papel, sem tirar nem pôr: É Outono.
Quase simultaneamente, foi o equinócio e pimbas, a temperatura desceu bruscamente de sábado para domingo e agora andamos com máximas de 12ºC. Tenho frio, ah pois tenho. Mas se me puser a vestir o casaco de penas... o que é eu que visto no Inverno? A minha sorte é que eu não ando muito na rua.

Pois é chato. 
Falar do tempo também. 
Mas estou com medo... com muito medo, o que eu andei para aqui chegar... (perceberam de onde saiu esta? De outra música ligeira portuguesa, oh larila) - So much pun, so little time.

Para animar, vou fazer uma festa. Pronto. Tenho dito. :D

Friday, September 21, 2012

how to embarrass a cat

Desculpem lá, mas isto ficava a matar na minha gata, que tem a mania que é a rainha e que manda em tudo e as pessoas existem para apanhar cagalhões (e é um facto que isso é verdade)... Lá isso ficava...

for Stella. Hey, cats love it!!!

Thursday, September 13, 2012

Arte finlandesa: uma introdução em lá sustenido

Eu, que sou muito dada a museus (gosto, o que querem que faça?!), ainda não fui a muitos aqui. Devo estar a guardar-me para o inverno...
Aproveitando o cartão Helsínquia de quando a minha mãe cá esteve, acabei por ir visitar o museu do Design (caso não saibam, Helsínquia é a capital do design 2012) assim como o museu de arte moderna - Kiasma.
A semana passada fui ver uma exposição da Georgia O'Keefe, tirando partido do facto de nas primeiras sextas feiras de cada mês a entrada é gratuita! MUAHAHAH! Eu sou tããããão tuga, que não consegui resistir. 
Hoje, fui ao Ateneum ver uma exposição que já andava debaixo de olho a algum tempo. O meu rico trabalhinho organizou uma "excursão", onde incluia uma visita guiada e então, olha! Lá fui eu!
O edifício em si é lindíssimo e lá dentro tinha uma exposição de uma das mais relevantes pintoras finlandesas, que de certeza, nunca ninguém ouviu falar: Helene Schejerfbeck (rings a bell to anyone?)

Mesmo vindo desta terra árida e passado grande parte da sua vida vivendo com a mãezinha, numa terrinha desinteressante, a 30 Km daqui sem cá pôr os cotos durante 15 anos(!), a senhora tinha uma pintura muito interessante. Ajudou o facto de ter guia pois esclareceu muita coisa e chamou a atenção para pormenores pertinents que nos fazem olhar para a peça logo com outros olhos. 
Ateneum art museum,Helsinki
oh pra ela!
Embora as peças mais "conhecidas" dela tenham um traço pouco ambicioso e nada de muito relevante, é um facto que a senhora sabia desenhar lindamente, pois há um período da vida dela (18-19 anos de idade), de quando ela este em Paris a estudar, em que põe qualquer renascentista e retratista num canto! The woman can paint!! Mas depois ficou preguiçosa e dedicou-se a explorar arte do "não é preciso muita tinta para se criar um bom quadro". Com razão. Tudo muito expressivo e até perturbador, mas ao mesmo tempo pacífico... 

Self portrait with palette (1937)
A história deste é simples e eu gostei. É um auto-retrato. A cara dela diz tudo :) Estão a ver os pequenos apontamentos de cor em baixo? Isso será a tal "paleta". Não se nota bem, mas no lado direito está um caganito de vermelho. Segundo ela, representa o amor que teve durante a vida (não muito), enquanto que o branco foi a sua satisfação pessoal, completamente preenchida e a fazer o que ela gostava (daí o generoso montinho branco). As outras cores não sei. Mas assim, com este pequeno pormenor, se resume uma vida. 
Ela morreu na Suécia, com 84 anos, e continuou a pintar até bem perto da sua morte.

Wednesday, September 12, 2012

O senhor Bourdain

Ou Tony, para os amigos, já fez um programa nos Açores e em Lisboa (entre outros!).
Em vez de ir para paragens que sugerissem boa comida, deixou-se comer (ahaha perceberam o trocadilho?!! -tenho de apontar senão passava em branco) por um movimento facebookiano e veio cá. Sim. A Helsínquia. Conhecida, como devem saber, pela sua gastronomia, paisagens luxuriantes e temperaturas amenas. Um sonho!

Se quiseram ganhar algum (muito pouco!!!) respeito/conhecimento/simpatia (é para escolher uma hipótese) por esta gente, aqui fica o programa (serie 8, Ep 6):


E depois disto, é ver com os próprios olhinhos :) 


Sunday, September 2, 2012

Já fiz anos!

Ontem, dia 1 de Setembro. Obrigado aqueles que se lembraram e os outros... Estão fora dos meus contactos! Ficam já a saber!

Este ano safei-me de passar o dia de anos sózinha pois a minha mãe, a minha tia e tio vieram fazer-me companhia aqui ao fim do mundo. Aproveitaram e conheceram Helsínquia e fizeram uma perninha ali à Estónia, Talin. 
Infelizmente, o tempo não acertou com  a importância do dia, e no meu dia, em Talin, a chuva não deu descanso e não se aproveitou a experiência totalmente. Mas não me posso queixar: fiz a minha primeira travessia Helsinquia-Talin, fui à Estónia, fui almoçar num restaurante excelente, aprendi algumas coisas novas e estive com a minha família (alguma) :)

Para os meus próximos hóspedes, aqui vai a informação: Já sei quais os to-do's turísticos de Helsínquia; já tenho um mapa de Talin. De certeza que se vão divertir!!! Benham, benham!!!

Parabéns a mim!!

Monday, August 27, 2012

Feira Popular

Há em Helsínquia, bem no coração da cidade, um parque de diversões, o Linnanmäki. A ideia, tal como havia em Portugal, é muito boa. Uma pessoa passa ali umas quantas horas, quebra a rotina, leva ali com uns shots de adrenalina e aproveita-se para ver as vistas da cidade pelo meio dos gritos de terror
Devido à fraca qualidade meteorológica da região, o parque só está aberto entre Abril e Outubro. Mas isso não os impede de terem carroceis com água, daqueles que encharca salpica uma pessoa!  


só uma pessoa sabia o que aí vinha...
ah pois é...
a camisola vermelha é minha
eu estava no barquinho...
plástico de 2€ que me impediu de apanhar uma pneumonia
mas também tem outros calmos, para se apreciar a vista desta magnífica cidade
demasiado sol... there is no such thing!! :)
Até a Maria Fernanda andou nuns quantos!! :)
Foi muito boa ideia ter aceite o convite dos meus novos amigos portugueses e ir fazer algo bem divertido que já não fazia há muitos e muitos anos! Demasiados... Já não volta a acontecer.

Tuesday, August 21, 2012

eles dizem...

... muita coisa. E no meio dessas coisas todas, há umas quantas pérolas que vou recolhendo para fazer um colar, daqueles que dão 5 voltas ao pescoço e uma ao pé.  
Pelos vistos, faz parte do conhecimento colectivo de que o contorno da Finlândia é uma mulher com um braço esticado. Antigamente, já teve os dois braços esticados, mas um deles foi decepado pelo vizinho grandalhão e potente.
Observem com atenção:


Conseguem ver? Parece uma daquelas senhoras portuguesas, à antiga, que vão para o baile da aldeia dançar sózinhas, com um braço no ar e com a outra mão de encontro ao peito. E claro, a parte de baixo, em vez de serem umas belas pernas é uma saia compridona e mal-feitona.

E nós? Parecemos o quê sem ser um quadrado? Um perfil (Lisboa é o nariz, estão a visualizar?)... não tem piada. Aceitam-se sugestões.


Saturday, August 11, 2012

fui ver um filme em 2D

Isto sim! Isto agora é que é algo extraordinário! 
Era um filme para a parvoíce, logo digno de pipoca. 
Oh faxabori, era um balde de picocas doces e uma coca-cola. 
Oh menina, doces não há, só salgadas!
Ah ca ganda anormal! Eu não acho piada nenhuma a essa merda! 
Ah mas tem ali a banca dos doces.
Não quero cá comer uma barra de Snickers... obrigadinhaS! Vai levar nas nalgas!
Ruminei um bocadinho mas perdeu o interesse muito depressa. Bebi a coca-cola, que era Pepsi, pois pensam que a malta não sente a diferença! I'll take the Pepsi challenge any time!! E porque estava escrito no copo...
As tipas ao lado chegaram já em cima da hora, sorry sorry. Abancaram e descalçaram os sapatos, esticando a perna bem alto para esticar as meias e sentaram-se com os pézinhos em cima dos bancos porque...sim! 
Vi o filme, ri o que tinha a rir. O Seth MacFarland continua com o seu sentido de humor no ecrã de prata. A malta gosta! (leia-se eu!)
À saída, tive que esperar que as garinas se calçassem e apertassem os atacadores dos seu All stars. 
Reparei que no chão, estava uma vagem de ervilha. Qual picoca, qual carapuça! Ervilhas é o snack da época, pois agora, para além  das imensas bagas e cogumelos, são as ervilhas em vagem bebés, com as ervilhinhas bem pequenas e docinhas que estão na moda.
Ah, vamos ao cinema? Vou mas é levar o meu saco de ervilhas! 

Temos muito que aprender com eles... ou talvez não!

Wednesday, August 1, 2012

é só para dizer coisas

Não vos vou chatear com as minhas aulas, nem com as minha lamechices sociais, nem com a minha casa e nem  sequer tenho fotos para mostrar. Vou só dizer coisas que acho que devem saber.

- Há demasiados adultos a andar de trotineta pela rua.
- A época da "cloudberry" vai começar. Estou desertinha para experimentar. Tem um aspecto superfofinho e dizem que é ácida como tudo!! My kind of girl!! :)
- Retomei o  Geocaching - versão nórdica. Daqui a uns meses é desenterrar taparwares na neve. Sounds fun!
- Embora o Báltico esteja muito poluído e o arenque aqui pescado esteja super contaminado com dioxinas, os finlandeses, devido ao seu grande apreço pelo peixe, têm uma licença especial para o vender/comer, pois é PROIBIDO em todo o lado. Contudo, avisam: se está a pensar em engravidar, aconselhamos a não se deliciar com esta maravilha dos mares. Olha a minha sorte em nem sequer conseguir cheirar este peixe!
- Estiveram 2 dias com a temperatura acima dos 25ºC. Eu liguei o ar condicionado. Quem sou eu?? 
- Imprimi fotos de Portugal, da arrábida, dos pastéis de Belém, da minha família, da minha mãe, da Estela e outras especiais e coloquei no meu placard no trabalho, para me inspirar quando precisar.
- Aqui só se pode comprar álcool (como deve de ser) em lojas controladas pelo estado, numa tentativa patética de controlar o consumo de bebidas alcoólicas
- O meu marido (ahahah) armou-se em jardineiro e fez florescer um canteiro com salsa, coentros e basílico na janela da cozinha. E cheira bem que se farta... Até ver... :) 
- Conheci mais uns quantos portugueses que, por infortúnio ou não, vieram aqui parar. Boa gente! Cenas dos próximos capítulos...
- Os saldos continuam, mas eu continuo portuguesa. 
- Não me constipo há já vai para 3 anos. Basicamente, desde que emigrei... Devo tirar alguma conclusão disto? :P
- Faltam 3 semanas e 3 dias para a minha mãe chegar para...
OS MEUS ANOS!!! 
Ando a ponderar ir ali a Tallinn dar uma volta nesse dia glorioso de celebração do meu nascimento. Boa ideia? Vou pensar... 

Sunday, July 22, 2012

Finnish 101

Passadas 3 aulas de Finlandês, há já umas certas coisas que me ocorrem dizer:

- A gramática é complicada, no sentido de não ser óbvia e de uma pessoa não estar habituada a construir frases assim. Mas continuo na minha: nada bate o alemão! 

- A entoação é sempre a descer. Nem nas peguntas aparece um bocadinho de "vida" na frase. Ás vezes desce tanto que eles ficam  a falar com sons guturais... which is stupid! 

- No entanto, o som das palavras é simplesmente delicioso! Têm rrs enroladinhos, as sílabas muito bem separadas, h's muito aspirados, sons longos e curtos e adoro quando de mim sai algo assim tão bonitinho! 

Ainda vou demorar muito tempo até conseguir ter uma conversa em finlandês, pois as palavras são totalmente tiradas do cu, pelo que só pela memorização é que vou lá chegar. Acontece que a minha memória anda pela rua da amargura... 

Mas já sei os números, os dias da semana, alguns meses e aquela conversa de xaxa olá, como estás, estou bem e tu, eu também, bom fim-de-semana, obrigado, igualmente.

Nada mau, hein?

Moi moi! (tchau aí!)