Sunday, October 30, 2011

hipocrisia na religião

NÃO PODE SER! ONDE É QUE EU VOU BUSCAR ESTAS IDEIAS BLASFEMAS?
Não sei, são coisas que me contam....

Que os católicos não são fãs de gays e os padres são os maiores paneleiros que andam para aí e ainda por cima a profanar corpos de crianças inocentes (não sei se são de meninas ou meninos, mas vou arriscar e dizer o 2º), já não é novidade.
Enchem a boca a dizer o quanto pecaminoso e errado isso é, o quanto os homossexuais merecem morrer e vai-se a ver, são sempre os que pregam essas alarvidades que têm o armário com mais esqueletos.

Fiquei agora a saber, de fonte fidedigna, algo que não me espanta mas nunca de facto me tinha debruçado: neste tema, a merda cheira igualmente mal quando se trata da outra famosa e adorada religião. 
No islamismo, como devem saber, ser-se homossexual é proibido com pena de morte. Mas parece que se esquecem disso quando lhes dá jeito pois os homens ricos e poderosos ostentam os seus "escravos sexuais" como sinal de estatuto. Mais uma vez, um deprimente exemplo do homem a explorar a desgraça alheia, abusando dos desafortunados, fazendo a vida desses infelizes valerem menos que nada. 
Se não forem rapazes, são raparigas, que ainda valem menos que uma formiga. Parece que também é prática comum pegarem em miúdas que vão a andar na rua e fazerem o que quiserem com elas. Fotografam, filmam e mandam às famílias para os chantagear, pois se toda a gente souber que a menina já não é "menina", ninguém lhe pega e é a desgraça da família. 
Entre outras coisas nojentas que me contaram, de quem lá andou... e que eu ia vomitando e pedi para parar. 

Quem faz estas coisas são pessoas que passam o dia inteiro a ouvir o imã, a ler o corão, a pregar a palavra do Alá. 

Se é isso que os deuses andam a dizer ao discípulos... a coisa está bonita, está!!






Era uma guerra nuclear e fazer "RESTART" :( 

Saturday, October 29, 2011

replay!

Tenho que começar a planear coisas realmente fixes para o momento exacto da mudança da hora de verão para inverno. Ah pois é! Paga-se 1 e leva-se 2! 

Não sei muito bem que variedades de coisas giras é que há para se fazer às 2 da manhã, mas hei-de arranjar! 

Tenho um ano para pensar nisso...


Saturday, October 22, 2011

já me está a irritar

O Facebook!
Acontece que não tenho tomates para apagar a minha conta porque a utilizo para saber das novidades da minha malta pois, infelizmente, o telefone e mails passaram a ser coisa do passado. Agora, alguma coisa que nos acontece, pimbas! Parede do facebook para toda a gente saber! E quem não tiver facebook, que se F***. 
Tá mal!
Já não tenho grande paciência para me pôr a partilhar videos e notícias. Tenho mais que fazer que cada vez que dou um peido ter de informar o mundo. Além disso, tenho um blogue que é mesmo para isso que serve e não atafulho perfis de ninguém com as merdas que me passam na cabeça. 
Isto para não falar do facto de toda a tralha que lá pomos, o senhor Mark fica dono e senhor e pode fazer o que ele quiser com a nossa "tralha". Not funny....
Mas também, ninguém nos aponta uma pistola à cabeça para preenchermos todos os campos com a mais pura das verdades, n'est ce pas? 
O que me fez escrever este post foi o facto de eu querer actualizar no meu perfil o campo das línguas que falo, pois sou uma poliglota e quero que o mundo saiba, pois quem sabe, um magnata qualquer precise de uma interprete e desconhece que aqui está uma! E não consegui escrever o que queria! Tenho que escolher das opções que me aparecem... Ora mas que grande porra! Eu que queria pôr-me para ali a dizer disparates... não posso! Quem é que essa gente pensa que é para me censurar sobre as minhas línguas?? Vão passear!!! 
Por isso vou bradar ao mundo aqui, no meu espaço pessoal:
Sei falar: Português, Inglês (mas já não muito correcto pois isto aqui uma pessoa desaprende inglês como gente grande pois são todos um bocado ignorantes), uma mistela entalada entre Holandês e Inglês, não passo fome na Alemanha, Espanholês (como todo o português que se preze), básico Francês e sei pedir uma sandes sem presunto em Italiano e dizer adeus/olá.
Porque é que não me deixam escrever esta singela frase? PATIFES!

Pena tenho que o meu Google+ ainda não esteja tão populado... Era já! Há-de chegar o dia...

Sunday, October 16, 2011

aquele lugar...

onde ainda não cheguei...
Ás vezes sinto que perdi o comboio. Já não vou lá chegar a tempo.

A maioria das pessoas da minha idade estão casadas, com filhos, dedicadas à culinária e à puericultura, com carrinhas ou outros carros familiares, em fases da vida muito "zen", já em velocidade de cruzeiro, com contas poupança e férias por todo o mundo já concretizadas.
Eu não. 
Até podia dizer que o meu relógio biológico está a dar horas... mas não está (eu pelo menos não oiça nada).
Não estou descontente com a vida que levo, com as opções que tomei. Foram as melhores possíveis tendo em conta as circunstâncias. Nem sequer os meus objectivos de vida são os mesmos das pessoas acima referidas. 
Contudo, acho que devia estar noutro patamar...

Passei toda a minha vida a estudar. Escolhi um curso de 5 anos. Não tive cunhas. Não tive muita sorte. Andei a saltitar de trabalho pouco remunerado para trabalho pouco interessante. Os anos passaram. As oportunidades não vieram. Os 30 chegaram e o futuro tão esperado e tão bem desenhado nunca mais acontecia. 

Fiz restart. 

E só agora, aos 34 anos de idade, com 10 anos de trabalho às costas, finalmente, posso dizer que comecei a minha "vida".  Pois sobreviver, para mim, não é viver.

Quanto tempo demorarei a lá chegar?

Estou atrasada.
E o tempo escasseia.

Saturday, October 15, 2011

no trains for me!

Não percebi se é uma piada, mas se o é, não tem gracinha nenhuma... pelo menos para mim, cujo tema é-me muito precioso: Casas-de-banho.
Pois anda para aqui uma notícia a rolar devido ao facto de os novos comboios sprinters (que fazem curtas distâncias), não terem casas-de-banho. Podem pensar: mas se as distâncias são curtas, também não fazem muita falta. Tá bem... mas vocês não fazem ideia de quanto estes caminhos de ferro "sofrem" com o Inverno (até parece que não sabem que ele vem todos os anos, like clockwork!). E pode muito bem acontecer ficarmos enfiados num comboio por horas! 
E nessas alturas, obviamente, vai dar vontade de ir à casa de banho! E agora?? O que é que o pessoal da CP cá da terra, gente expedita e prática, se lembrou? Sacos de plástico para o mijo! 
A ideia é utilizar esta maravilha da tecnologia, ir para um compartimento vazio e do your deed! 
EEEErrrr... NÃO! 
Dizem que é melhor que nada, só para as emergências... Vão mas é levar nas nalgas e trabalhem para a merda dos comboios não pararem cada vez que cai um floco de neve!


Agora é só cruzar os dedos e esperar que não dê diarreia a ninguém!!

(Dizem que os novos comboios (a seguir a estes) já têm de ter wc... deixa lá ver)

Friday, October 14, 2011

viagem gastronómica

Hoje fui almoçar a uma cantina. Tive medo. 
Comi sopa de amendoim. Só de me lembrar, está a dar-me calafrios. Não gosto de sopa, mas apetecia-me algo quente e a opção eram filetes de peixe frito com filetes de peixe frito. 
Ou pão. Em sandes já feitas ou por fazer, com fatias de fiambre e queijo embaladas individualmente. Uns pratinhos com salada. Bebidas. E já está. É o que esta gente come... Ao menos foi barato. Vá lá. 

era isto... mas pior.

E perguntam vocês: Sopa de amendoim??? Parece que sim. Vem directamente da Indonésia. Também comi-a mais por curiosidade. Não tinha assim muito sabor (como é apanágio desta gente) sem ser o do amendoim, tinha uns rebentos de soja a boiar, uns bocados de carne aos quadradinhos para dar substância... Ficou a meio, pois claro. 

A Mafalda é que sempre me compreendeu! :) 

- intervalo -

Tenho muita coisa para escrever, já tenho rascunhos para dar posts todos os dias durante...xii... sei lá... uma semana! :P
Mas não me apetece! Estou toda a rota. Foi daquelas semanas que na terça já me estava a queixar que nunca mais era sábado! Foi muita acção à qual não estou habituada (ou seja, ando a faltar aos treinos BIG TIME!). Isto de ir de 8 a 80 depois de vir de férias... tem muito que se lhe diga!! 
Há-de passar, tenham lá paciência! 
Entretanto, para irem vendo uns bonecos, encontrei isto e achei piada... fez-me lembrar alguém... cof cof... 


Monday, October 10, 2011

limões e limonada

Ao menos apanhei sol, apanhei calor. Fui à praia, dei mergulhos, comi as comidas que andava a desejar, passeei, revi amigos e família de quem tinha saudades. E adorei. 

Cabo de S. Vicente... e o mar azul
azul... da cor do céu
Meia praia, Lagos
Manta rota
oh yeah, baby!
6-7 minutos vistos do...
Adamastor

sniff
Foram umas férias muito nostálgicas. Não só pelo evento em que fui forçada a comparecer, mas pelo estado da nação, pelas esperanças desvanecidas, pela voz desmotivada de toda a gente, do desespero. Jesus, cada telejornal era uma enxurrada de tragédias e temas depressivos. 
Mas há sol e praia, comida boa, mar azul, montanhas, tudo o que nos é familiar está ali... uma pessoa até se esquece do estado de calamidade em que o país está! 
Mais uma vez, o que mais conforto me deu, foi compreender tudo que se passa à minha volta: as conversas, as referências culturais, a TV, os anúncios... Eu sei que é uma grande parvoíce, mas é de facto o que mais me incomoda nisto de ser emigrante. 

Passou-me pela cabeça, numa fracção de segundos, tentar pedir transferência para a instalação da minha empresa em Sines... mas depois foi-se... 

vacations from hell

Eram quase 3 semanas. Os planos eram ambiciosos. Muitas visitas a muitas pessoas, muitos passeios, muita comida, muita praia e muito descanso. 
Ainda não foi desta. Peço desde já desculpas a todos com quem tinha rascunhado um possível encontro que não se concretizou, mas não foi possível. Não foi possível fazer grande coisa. Na tentativa de aproveitar o que restava das férias, constantemente na minha cabeça estava a Estela, a minha gata, que se encontrava na casa da minha avó. E ficou "homeless". 





Neste momento não tenho casa para a ter aqui e não a queria deixar com alguém qualquer... Foram umas semanas de tortura sentimental... No final, a coisa lá se resolveu. Senti que estava a abandonar um filho num orfanato! Mas sei que ela ficou bem. E agradeço à existência de pessoas que sacrificam o seu lar imaculado por um lar amigo dos animais.


Para terminar com chave de oiro, aconteceu-me algo que nunca na minha vida me tinha acontecido: perdi o avião. Enganei-me na hora do voo e cheguei a um aeroporto a abarrotar pelas costuras (crise?!?! o que é isso?!), apenas uma hora antes. Fecharam o voo quando estávamos a fazer o check-in... Agora, só 12 horas depois... Pois seja. Fomos queimar tempo para o Vasco da Gama, parque das nações, vimos o último filme do Woody Allen (horroroso, by the way - AVISO: DO NOT WATCH "Midnight in Paris"). Cheios de sono, frustrados, cansados, lá entrámos num voo que saiu  atrasado (claro!). Chegámos à 1 da manhã a Amesterdão. Comboio? Só às 2 da manhã. NNNNNNããããããããoooooooooooo! 
Lá esperámos mais uma hora (afinal, esperar tinha sido o que tínhamos feito todo o santo dia, mais 1 hora, menos 1 hora... peanuts!) Lá veio o comboio, não sem antes termos conhecimento que haviam obras na linha entre Delft e Roterdão, pelo que teríamos de sair do comboio e apanhar um Bus para completar a viajem... 
Em Leiden (a meio do caminho) havia uma festa em que celebravam a saída dos espanhóis da dita terra (um motivo tão bom para festejar como outro qualquer) e entraram paletes de juventude, bêbeda, histérica e barulhenta naquele comboio (afinal, era sábado). Eram 3 da manhã e a merda do comboio parou nas capelinhas todas até Delft! A minha cabeça estava liquefeita!
E la piéce de resistance, o PRÉMIO para todo um dia de merda: sobe lá 2 lances de escadas com as malas todas, que elevador não há, se é se queres ir apanhar o autocarro para ir para casa.
Só me deu vontade de chorar. Já tinha as minhas forças por um fio. Concentrei-as, foquei o meu olhar no degrau seguinte e com os braços e as pernas a tremer, lá fui subindo aquela escadaria. Descer foi também difícil, pois estava a ver que as pernas davam de si e lá ia eu à roboleta por aí a baixo! Mas vá lá... 
Ao menos a viagem de bus até não foi longa nem muito má. Quando chegámos à estação de Roterdão, que parece um queijo suiço, tentar encontrar os táxis foi outra tarefa difícil. TAXIS - seta para o lado esquerdo. 20 centímetros ao lado: TAXIS - seta para o lado direito. AARGGHH. E as malas, e os jovens, e o sono e o cansaço... já estava nas últimas. 
Lá viemos num taxi, sem música, silencioso, o tipo nem meteu uma única vez conversa, o que me soube muito bem. Parou à porta. O elevador até estava a funcionar. Entrei em casa. Deixei as malas. Despi-me. Fui para a cama. Eram 4:30 da manhã. 
Não me falem em aeroportos até ao fim do ano, se faz favor.

Sunday, October 9, 2011

Long live the queen

Nunca tinha ficado tanto tempo sem aqui fazer um contribuiçãozinha...
Pois como a maioria deve saber, aqui a je foi de férias para terrinha. E a coisa não correu conforme o esperado.
De "férias" tiveram muito pouco. A minha avózinha, a última que me  restava, a matriarca da minha família, a mulher que criou todo o meu clã, foi-se embora. 
Cheia de opiniões e com uma personalidade "in your face", a Josefina (nome fixe, não é?) tomou a rédea da família e conduziu-a de pulso firme. A bem ou a mal, não houve grandes tragédias familiares e ainda nos falamos quase todos. Julgo que devido ao seu exemplo, todas as mulheres da minha família são super-mulheres, rijas, trabalhadoras, capazes de aguentar com o mundo às costas, independentes. Talvez demais... 
Assim como as suas muitas idiossincrasias que aprendemos a viver com, a Josefina deixou um enorme vazio no nosso seio familiar. A "cola" foi dissolvida. Nada será o mesmo.