Monday, July 11, 2011

inside a book...

Tenho pena de estar muito preguiçosa para ler. Tenho uma lista muito extensa de livros que gostaria de ler antes de morrer. Sou fã dos clássicos e quero lê-los TODOS! E se puder ir devorando mais uns outros livros e umas quantas revistas científicas pelo caminho, força! Haja cérebro!
Há uns bons 3-4 anos para cá que mal pego num livro. Tenho uns 5 livros a meio.... que vergonha... (emoticon com as bochechinhas rosadas). O PC ganha sempre... os feeds e a informação em 4 linhas vencem a minha attention span de mosca da fruta.
Tenho esperança de me voltar a encontrar. Espero que isto seja só uma fase...
Mas não foi por isso que estou para aqui a escrever este post. O título sugere algo que muito me apraz: o mundo imaginário. Livros de ficção, com descrições pormenorizadas dos cenários e das personagens são, para mim, algo que me delicia! Adorei os Maias. :P Está tudo dito ehehe! Adoro a parte "física" da história, a criação das coisas "palpáveis" que, ajudadas pelo autor e construídas pelas minhas próprias e únicas sinapses, vão-me acompanhando e desenvolvendo-se ao longo da narrativa. 
Pois aconteceu-me algo uma vez que DETESTEI e a partir daí tive sempre muito cuidadinho: Estava a ler um livro, ia meio, e por acaso, apanhei na TV a versão cinematográfica da coisa, que nem sequer sabia que existia... E destruiu-me completamente o livro! Não pela história, do facto de já saber o fim, nada disso: tudo o eu tinha imaginado, as cores, as caras das personagens, TUDO!, quando voltei a pegar no livro, passou a ser o filme! Como me odiei naquele momento! 
Estou a falar do '1984' de George Orwell. Na minha cabeça, o Big brother não tinha aquele ar de avôzinho-Estaline, nem havia john Hurt para ninguém, nem todo aquele ar deprimente de bairro social da ex-união soviética... Mas tinha de ser, não é, se não ninguém percebia... ARGH! 

No comments: