Saturday, March 26, 2011

ontem, hoje e amanhã

Pelo título pensavam que ia falar do josé cid... enganaram-se. Venho-me queixar! Que já não se fazem coisas de jeito como antigamente! 

Há quanto tempo não vês um filme com um argumento original, que mexe contigo, que te faz pensar, que te maravilha pela beleza da fotografia, que te faz cair o queixo?
Há quanto tempo não ouves uma música com um som diferente, que te surpreende pela qualidade musical, que te agarra pela poesia das letras, que te transporta para outro sítio sem te mexeres? 
Talvez não sejas tão exigente (ou chata) como eu, mas para mim, são estas peças de arte que ficam na minha história. 
Bem procuro, mas não encontro. 
Os filmes que se fazem hoje em dia são só remakes, baseados em livros de BD, com explosões e efeitos especiais, "seen it, done it", os 3D agora da moda, distraindo o espectador para este não notar o quanto vazio e sem narrativa aquilo é. 
Quanto às bandas de hoje em dia, soam tudo ao mesmo. Até aqueles grupos "indie" que até gostava, já se fundiram e parece tudo igual... :S Voltei a apreciar coisas simples, a woman with a piano, a guy with a guitar, que pelo menos são mais pessoais, carregadas de expressão, e algumas dessas pessoas até são mesmo talentosas. Não é preciso floreados, auto-tunes, telediscos com gajas nuas... A música é o que interessa. 
Ainda hoje deliro com o other side of the moon dos Pink floyd, ou derreto-me com o Jimmy Morrison a cantar aquelas músicas dementes dele. Fico boquiaberta com a Laranja mecânica, com o Taxi driver, Requiem for a dream...  filmes fortes, com mensagem, que nos agarram pelos ombros e nos dão um grande abanão. 
Estes tempos vão voltar ou já se esgotou tudo? 

Ok, vou ser um velho do restelo. 

No comments: