Tuesday, March 29, 2011

twisted toe

Tenho um pé deficiente... Assim de um dia para o outro, acordei e tinha o dedo todo torcido. Dói! Fui fazer um raio-X e tudo!!!!

Mas quando olho para aquilo, lembro-me sempre dos mutantes do Total recall

Vejam lá se não parece??


estão a ver o espaço ali no meio??
 (marquei a vermelho e tudo!)




Parece ou não? Ou isso ou estou a fazer o sinal internacional de trekky, com o pé, dentro do sapato, a toda a hora!! 




Live long and prosper!

Sunday, March 27, 2011

sunny spring

O sol... ai o sol... que me faz tanta falta... O inverno foi longo, penoso, gelado, difícil... mas tudo tem um fim e o inverno também. Chegou a estação seguinte, com as suas flores, brotanto por todo o lado, sendo a erva daninha desta terra o narciso! :P O que torna todo o pedaço de terra lindo! Florido! Colorido! Animado! Um gosto de se ver! A temperatura já subiu a valores amenos (12-15ºC! hein, nada mau!!) e o sol tem sido um fixe e tem aparecido quase todos os dias. 
Domingo. Plano? Ir de bicicleta fazer um piquenique nas margens do rio, numa zona ainda desconhecida... mas está vento... hmmm Plano B: Varanda, mesinha com o piquenique, vinho tinto, chaise long e sol, quentinho, na cara :D 

estão a ver o sol?? :D
o petisco:  iscas, chouriço, panito e binho! só coisas light...

what more can we want? 

E de baterias recarregadas, descansada e, atrevo-me a dizer, feliz... o fim de semana chegou ao fim. Uma semana cheia de emoções começa ;) I'll let you know!

tarantino

Hoje, este menino faz aninhos, 48 para ser exacta. Parabéns, pázinho!

Ainda há pouco tempo revi o Pulp Fiction. E lembrei-me quando o fui ver ao cinema quando ele estreou. Decorria o ano de 1995, 12º ano escolar, em que estávamos todos excitados pois dentro de uns meses estaríamos na Universidade, em Lisboa, algo que eu desejava desde os meus 13 anos! :P 
Decidiu-se que toda a turma ia ao cinema, testemunhar o rumor que circundava a estreia do Pulp Fiction. Estava todo o mundo aos pés do Tarandino, aclamando este filme como a melhor coisa a seguir a pão fatiado! 
Lá fomos, quase 2 filas de adolescentes imberbes, chatos, histéricos, excitados, ao cinema do Centro Comercial Parque, no Montijo, daqueles cinemas que tinha intervalo e lugares marcados!
Começou o filme. Silêncio. Com o avanço da narrativa, uns começam a soprar, outros conversavam, outros queixavam-se "não percebo nada disto"... enquanto eu (e outro colega que não é para aqui chamado) encontrava-me em êxtase! Fucking awesome! Até fiquei com a cabeça a andar à roda! :D O Tarantino ganhou uma fã naquele dia.
Tirando o "Death Proof" (que não achei lá muita piada), adoro o piquinho demente, violento e rude, in your face, que ele deposita nos seus filminhos, tanto como realizador como produtor. É perfeitamente identificável! 
Obviamente que delirei com o Kill Bill. Obviamente que também queria ficar bem num fato de treino amarelo canário, obviamente que queria saber brincar com facas grandes. Obviamente que era para limpar o cú pois a velha não sabe ler :P

Mas fiquei muito contente com um presente que recebi, para pôr as chaves do carrinho novo (nas minhas mãos, claro) que vou buscar para a próxima semana. Thanks, babe!!


Olhem lá o estilo!! Não é para todas! :P 

Saturday, March 26, 2011

rotterdam by night

Andando pelas ruas de Roterdão quando a noite já caiu, de vez em quando observam-se umas luzinhas vermelhas, saindo do chão. Não se liga, pois até é algo normal nas grandes cidades. Olhando com mais atenção, esta imagem salta à vista:


Para quem não está a perceber, tem a silhueta de um avião ao fundo, uma pessoa de braços apontados aos céus e chamas, muitas chamas! Que dramático! 

E com razão. Estas luzes são indicadores de locais onde cairam bombas alemãs durante a II Guerra Mundial que praticamente destruiram a cidade. 
Quando se tem esta informação, a quantidade enorme de luzes que fomos vendo e pisando... deixam de ter piada... 

Um bocadinho de história de Roterdão para vocês! :)

ontem, hoje e amanhã

Pelo título pensavam que ia falar do josé cid... enganaram-se. Venho-me queixar! Que já não se fazem coisas de jeito como antigamente! 

Há quanto tempo não vês um filme com um argumento original, que mexe contigo, que te faz pensar, que te maravilha pela beleza da fotografia, que te faz cair o queixo?
Há quanto tempo não ouves uma música com um som diferente, que te surpreende pela qualidade musical, que te agarra pela poesia das letras, que te transporta para outro sítio sem te mexeres? 
Talvez não sejas tão exigente (ou chata) como eu, mas para mim, são estas peças de arte que ficam na minha história. 
Bem procuro, mas não encontro. 
Os filmes que se fazem hoje em dia são só remakes, baseados em livros de BD, com explosões e efeitos especiais, "seen it, done it", os 3D agora da moda, distraindo o espectador para este não notar o quanto vazio e sem narrativa aquilo é. 
Quanto às bandas de hoje em dia, soam tudo ao mesmo. Até aqueles grupos "indie" que até gostava, já se fundiram e parece tudo igual... :S Voltei a apreciar coisas simples, a woman with a piano, a guy with a guitar, que pelo menos são mais pessoais, carregadas de expressão, e algumas dessas pessoas até são mesmo talentosas. Não é preciso floreados, auto-tunes, telediscos com gajas nuas... A música é o que interessa. 
Ainda hoje deliro com o other side of the moon dos Pink floyd, ou derreto-me com o Jimmy Morrison a cantar aquelas músicas dementes dele. Fico boquiaberta com a Laranja mecânica, com o Taxi driver, Requiem for a dream...  filmes fortes, com mensagem, que nos agarram pelos ombros e nos dão um grande abanão. 
Estes tempos vão voltar ou já se esgotou tudo? 

Ok, vou ser um velho do restelo. 

Sunday, March 20, 2011

"dare to do it" day


Pois que adoro a Audrey Hepburn! E fiquei a saber que a mãezinha dela era uma baronesa holandesa. Hein? Que tal de informação desnecessária? 
Isto para contar que ando a tentar colmatar as minhas falhas cinematográficas da lista dos "100 filmes que se têm de ver antes de morrer". Alguns só tenho de rever, pois quando os vi não tinha idade mental suficiente para os compreender na totalidade. Outros tenho mesmo que ver pois fazem parte da história do cinema e gostava de saber porquê. 
Agora foi a vez do "Breakfast at Tiffany's" de 1961, com a senhora Hepburn no seu melhor. A gaja tinha um estilo do caraças! Não é de admirar o sucesso que teve. Um bocado magrinha demais mas, tendo em conta a sua biografia, ela passou um mau bocado durante a II guerra mundial (afinal, ela estava aqui ao pé de mim) e tal evento deve deixar sequelas... 
O filme em si não tem nada de extraordinário, para dizer francamente, nenhuma realização por aí além, aquelas histórias cheias de moral da américa dos anos 50-60, sobre uma criatura um bocado maluca dos cornos, tentando ser quem não era, fugindo de si própria... blábláblá... Tem uns momentos cómicos, é um filme que se vê muito bem, devido à Audrey! Ela dá ali vida a uma personagem cheia de carácter, com uma visão não convencional sobre a vida e que tenta aproveitar ao máximo a sua existência. 
Há uma passagem no filme em que ela diz que tem dias em que apenas faz coisas que nunca fez na vida. Eh pá!! Mas que bela ideia!!! Sai-se à rua... vai onde ainda não se foi... faz-se algo que nunca nos atrevemos a fazer... you get the point... Não parece bem?? Bora fazer?? assim... uma vez por mês? Fica ao vosso critério. Mas fica aqui a ideia!


Wednesday, March 9, 2011

museum nacht

Este sábado que passou, dia 5, foi a noite dos museus em Roterdão. Tal como em qualquer noite deste género, os museus abriram até altas horas da manhã (2 da matina!! waw), as galerias escancararam as suas portas, inúmeros espectáculos de rua, "entertainement" por todo o lado, tudo muito artístico (que é outra palavra para "não compreendo"). 
Entrámos nos museus mais importantes de Roterdão passando pela rua do "art district" da zona, onde há galerias porta sim, porta não, intercaladas com bares e cafés. 
No museu da cidade, um edifício altanteiro, com tectos altos e cheios de rocócós, encontravam-se dispostos serviços de cozinha ao longo dos tempos... e este é o mais moderno. 

plastic and carton. Luxurious....
Nas galerias...


não se nota bem, mas no lado esquerdo está um porco
 a levar com um dildo mecânico... para o estilo!
numa exposição  "Beleza na Ciência"... um pleonasmo, portanto! 
E com a minha cara de parva encerro este post cultural.
Acho que cada vez a palavra "ARTE" se parece mais com "CHOQUE". Quanto mais sentidos ofender, melhor! A arte-"ai, tão lindo" está a ser substituída galopantemente pela arte-"ai, que horror, oh Freud, anda cá a cima ver isto".
Foi uma noite chócaintxi!

dia da mulher: my interpretation

Mais um dia internacional da mulher. O facebook de ontem era só "parabéns às mulheres", "obrigado por seres quem és, mãe/namorada/whatever", "feliz dia"... Parabéns por quê? Obrigado por obra de quem? aaaaaiiii, mete-me cá uma destas raivas!!!! Lembro-me que ainda esta semana fui alvo de "piadas" e comportamentos machistas (para mim são piadas mas para eles... não me parece), vejo o quanto a vida da minha amiga muçulmana está a ser completamente esmagada pelos homens em redor dela, recordo-me de ser descriminada em entrevistas de emprego pelo simples facto de ser mulher em idade fértil e como tal o meu único objectivo na vida era parir (claro!), do quanto as mulheres têm de trabalhar a dobrar, do modo como crianças feminas e masculinas têm diferentes referênciais de educação (tenho um exemplo desses na minha família e vira-me as tripas!!), etc... you get the point.


Mas andando um pouco para trás na história, nem sempre foi assim! Sabemos da existências de sociedades matriarcais, temos o magnífico exemplo do Egipto que, para além de ter aquela rainha com um nariz magnífico, também permitia a existência de outros lugares de poder às mulheres na sociedade. E porque é que isso acabou? Eu digo: Religião! Cristianismo e associados. A cobardia dos homens. A atitude "o-meu-pénis-é-maior-que-o-teu". O medo. Por outro lado, o carácter não belicoso e conciliador da mulher e, infelizmente, a nossa fraqueza física. 
É o nosso calcanhar de Aquiles, geneticamente não fomos feitas para lutar e levantar pedras em cima das nossas cabeças. Os homens toparam isso e já que iam escrever aquele enchorrilho de tretas, aproveitaram e meteram a mulher num canto, quieta, muda e calada, um mero objecto para se usar, abusar, vender, matar, para não dar muito trabalho e para puderem fazer as merdas todas que queriam. E eis a bíblia/corão, com o seu discurso opressivo, intolerante, mesquinho e cobardola, em relação às mulheres (e outra pessoas que eles acharam que não queriam ter de lidar com). 


E o que pode fazer, pergunta você, leitor masculino, que lê este blog? Nada. Mas quando tiver filhos, tente incutir outros valores, tente criar os seus filhos sem qualquer tipo de preconceitos!


Muito grata pelos "obrigados" e "Parabéns" mas podem enfiá-los todo no cu.

Sunday, March 6, 2011

carta ao forno

Caro Sr. Forno.

Agradeço muito a sua presença na minha casa mas o seu comportamento deixa muito a desejar! 
Não exijo muito de si, apenas que cozinhe o que lá ponho dentro, à temperatura e tempo que determino. Não é complicado. Agora não sei, porque carga de água, é que a temperatura que me indica não é, de facto, a verdadeira. Não compreendo porque me mente! Por ser um mentiroso-son-of-a-bitch, os meus bolos ficam encruados no meio, carbonizados por fora, tartes queimadas por cima e a massa ainda crua, bacalhau no forno em que as batatas não cozinharam... entre outros eventos que decidi esquecer... 
Aproveito também para demonstrar o meu desagrado perante uma função que o seu alter-ego Micro-ondas tem, o "defrosting". O que se deseja dessa função é derreter o gelo, apenas! E não assar as extremidades da peça de carne que lá ponho dentro, mantendo o centro perfeitamente congelado, tal e qual como no início da operação... Fica a carne com um cheiro nojento, em que não está crua nem deixa de estar, é simplestemente horrível!
Eu, que sou tão boazinha para si, que nunca lhe fiz mal nenhum... até o limpo de vez em quando e só gerei raios no seu interior apenas uma vez (it was cooool!)!

Esta sua "característica" está a ser muito frustrante, além de que não está a ser amigo do ambiente e da carteira, pois já tive de deitar muita coisa fora que saiu de dentro de si! Tenha dó! Está a destruir o meu amor próprio relativamente aos meus dotes culinários que, posso dizer com frontalidade, sempre achei que eram bem bons! 

Concluo esta missiva com uma sugestão: PARE COM ISTO ou vai para o olho da rua! 


And I'm not fucking kidding!