Thursday, March 25, 2010

rotterdam

Ando sempre para aqui bitching, que o tempo é uma merda, que esta gente é doida, língua que não lembra ao diabo... Desenvolvi por esta cidade, que me acolheu de braços abertos, uma relação de amor-ódio. Gosto e não gosto. Tem coisas boas e coisas más. E se o meu avô não morresse ainda hoje era vivo. Não é tão bonita como Amsterdão, embora tenha zonas em que até disfarça muito bem, tem muitos arranha-céus, edifícios de arquitectura pior do que o que sai do cu do Tomás Taveira (no pun intended), muita gente feia, muitos grupos de rapazes com aquele andar gingão, bonés para o lado, a falarem alto, a galar as moças que passam, a cuspir para o chão, as miúdas também muito pindéricas, de calças de ganga justas e sapatos de salto alto de verniz, ou de sabrinas sem meias para se ver os tornozelos brancos como a cal, muito lixo na rua, muitas cuspidelas... é mau. Eu estou a morar no equivalente à Rua da Betesga em Lisboa, pelo que o down-town é ali ao virar da esquina, e é no down-town que toda a gente vem passear e às compras. Toma lá, aguenta. Por isso, também tenho a esperança que daqui, só pode vir a melhorar. 
E coisas boas? Não tem? Também tem. Uma das coisas que achei realmente magnífico e de bom tom, que descobri ontem quando me fui inscrever, são as aulas de holandês serem totalmente GRÁTIS para quem quer aprender. É necessário ter aproveitamento no fim, mas fogo, a viver aqui, rodeado de gente que fala a língua e a ter aulas, só quem tiver um só neurónio é que não consegue! Tinha na ideia que se teria de pagar algo, pouco, mas qualquer coisa, por isso ainda não me tinha "disponibilizado" a tal. Mas foi óptimo saber que um país que não me conhece de lado nenhum está disposto a investir numa emigra qualquer! Tiro-lhes o chapéu e nunca me vou esquecer disto! :)
Já dei voltinhas suficientes por aqui para me ir ajeitando com os percursos, já sei o que há para ver e fazer. Há alguma diversidade, respeitante a museus, galerias, cafés e espaços de lazer. Agora é mesmo começar a disfrutar... 
Há 2 fim-de-semanas atrás fui ver uma parvoíce que há cá, as casas cubo. É giro por fora, parece que estão a desafiar a gravidade, mas por dentro... meh. Um senhor decidiu fazer da sua casa uma atracção, ele mora lá e abre as portas ao público, para este ir gozar com a colecção de bonecos dos Senhor dos anéis que ele tem! :P eheheh

Não sei se dá para perceber os ângulos daquelas janelas...

O Frodo e o Sam. Mas estava a maralha toda neste gesso inexpressivo... NERD!

Este fim-de-semana fui fazer o tão famigerado passeio de Spido. 75 minutos dentro de um barco a percorrer o rio Maas pelo porto de Roterdão a dentro. Tivémos uma sorte dos diabos com o tempo e até se pode vir cá fora, a levar com o fresquinho e a ver a paisagem, sem apanhar uma gota de água! :P (click to zoom)






A zona do porto é de facto impressionante. Põe o de Lisboa num chinelo, de plástico, do chinês. Recomendo este passeio. 

Tenho de admitir que esta terra está a crescer dentro de mim. O feio que existe é o mesmo que existiria noutra cidade europeia. É o que também existe em Lisboa. Mas como gente da terra, apenas  vemos apenas o que queremos e gostamos. Aqui, como não se conhece nada, olha-se para tudo com o mesmo olhar crítico e claro, o pior é o que deixa maior impressão. Mas acho que há possibilidade de o meu ódio por Roterdão amainar :)

Estão a ver as casinhas do lado direito? Até são pitorescas, nesta zona do porto velho.

No comments: